terça-feira, 7 de julho de 2009

Arido...


Herdo de ti palavras que me presenteiam, as altas horas que compartilho com o silêncio tão alto do som da madrugada. Ela nua em tom vestido, pano fino de névua, ela lua e se despindo de luz em tom de vela. Dentro de mim mero devasto, mero atrito que tocam meus pés...esse chão árido.

Um comentário:

* Anjo Desatinado * disse...

Gostei muito do seu blog e da maneira como escreve.
Parabéns!