quinta-feira, 19 de março de 2009

Estranho e calmo...

Embora não caiba mais relatar coisas que não digo, falo de mim mesmo pra ninguém. É tão sórdido esse clima, sol e neblina. Gotejam suor do corpo imóvel após o ato, que parte de nós se contempla aqui? Nomes, jeitos, defeitos... Em passos árduos é que caminho, te busco, te acho e desisto. Então o que faço? Agora é tão chato o que antes era bom, oscilo, sei! Vacilo, e quem não? Contas são contas, pessoas, realmente são pessoas, números, projetos íntimos de dois, volúvel, volúvel, volúvel... Tão estranho e tão calmo...

3 comentários:

Bárbara Chantal disse...

"...te busco, te acho e desisto..."

Pior que sei!

Amanda Carvalho disse...

Palhaços... são de corpo e alma!
Felizes do corpo e triste d'alma.
Prazer em conhecer um blog familiar...

Mrs disse...

Tô só vendo como fica isso..srsrs